A internet nos proporciona inúmeras oportunidades e nos oferece muitas facilidades no dia a dia. Como já abordamos algumas vezes, atualmente não existe a possibilidade de lidar com todas as responsabilidades da vida sem que estejamos conectados a rede mundial de computadores. Agora o digital se tornou parte necessária em muitos quesitos, mas será que a acessibilidade de navegação é fácil para todas as pessoas?

Antes de qualquer coisa precisamos esclarecer o que é acessibilidade digital. Esse conceito surgiu para reforçar o direito de que todas as pessoas tenham acesso a internet e mais do que isso, que elas consigam desfrutar de tudo o que ela tem a oferecer, independente de limitações e deficiências físicas.

A ideia é que todos se sintam parte do desenvolvimento tecnológico e tenham a possibilidade de utilizar as ferramentas como qualquer outro usuário. De acordo com Fundação Dorinha, no Brasil 23, 9% da população possui algum tipo de deficiência, isso equivale a cerca de 45,6 milhões de pessoas.

Levando esses números em consideração o que precisa ficar claro é que a acessibilidade digital visa, acima de tudo, incluir todas as pessoas de forma que elas se sintam aptas para desenvolver projetos, trabalhar, estudar e ter a internet como uma verdadeira aliada na rotina.

No entanto, mesmo que o conceito tenha surgido com a visão voltada para a inclusão, muitas empresas podem se reinventar melhorando seus processos para que essa parte dos brasileiros, que possuem algum tipo de deficiência, tenham uma experiência de conexão mais eficaz.

Imagine o diferencial que sua empresa teria ao dar espaço para que milhões de usuários tenham contato com seus produtos e serviços? Hoje todas as corporações possuem pelos menos um website ou uma rede social e produzir um conteúdo consciente faz toda a diferença, pois as pessoas confiam e criam laços fortes com marcas que elas consideram engajadas socialmente falando.

Pode parecer complicado no início, mas algumas ações fazem muita diferença. E com o avanço tecnológico já existem ferramentas que podem ser integradas a sites, para que eles sejam mais inclusivos, um exemplo é a opção de áudio para quem é portador de deficiência visual,  também é interessante incluir descrições das imagens que aparecem ao longo do conteúdo e utilizar a hashtag #PraCegoVer.

Produzir textos mais simples e descomplicados ajuda e muito pessoas com dificuldade de leitura, como é o caso de quem possui dislexia, por exemplo. Outra iniciativa fundamental é a inclusão de legendas e Libras em vídeos, já que muitos surdos não são alfabetizados e só entendem a linguagem de sinais, e mesmo para os que são alfabetizados as legendas podem ser difíceis de acompanhar.

Essas dicas mostram que não precisa de muito para melhorar a acessibilidade digital e assim garantir que muitas pessoas sejam incluídas em algo que é um direito de todos.

Gostou desse conteúdo? Continue acompanhando nossas postagens!