Devido a pandemia do novo coronavírus muitas empresas aderiram ao trabalho remoto como uma alternativa para manter normalmente o funcionamento. Com o crescimento do número de colaboradores trabalhando a distância, a busca por plataformas de videoconferência aumentou consideravelmente, o que trouxe a tona algumas muitas questões de segurança.

A plataforma Zoom foi uma das ferramentas de chamadas de vídeo mais utilizada desde que o isolamento foi estabelecido. Segundo o site Olhar Digital, antes de toda a crise envolvendo o COVID-19, a ferramenta contabilizava cerca de 10 milhões de usuários ao redor do mundo, em março esse número cresceu para 200 milhões de pessoas.

A explicação para tamanha procura está na facilidade de utilização do aplicativo. No entanto, o que fez muitas instituições aderirem ao Zoom, também se tornou motivo de preocupação. A plataforma permite que as pessoas tenham acesso as “salas de reuniões” por meio de links de convite, dessa forma não existe a obrigatoriedade de fazer um cadastro, o que deixa os usuários vulneráveis e expostos pessoas mal-intecionadas e invasores.

Isso aconteceu com especialistas em imunologia que faziam uma reunião pelo Zoom. De acordo com o jornal Folha de São Paulo, os profissionais estavam em uma videoconferência com cerca de 60 pessoas, esclarecendo algumas questões sobre o coronavírus, quando foram interrompidos por um invasor que exibia imagens de saudações nazistas e também de Hitler. Casos de invasões a salas de aulas pela plataforma também foram registradas. Esse fenômeno ficou conhecido como “Zoombombing”.

Após a descoberta da fragilidade no aplicativo e o risco de exposição de informações, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou no dia 06/04, um comunicado informando sobre o bloqueio da plataforma em seus computadores e determinou que outro serviço fosse utilizado. 

A situação envolvendo o Zoom reforça ainda mais a importância da segurança no meio digital, principalmente quando se trata de trabalho remoto e de processos que envolvem informações confidenciais, que transitam dentro de empresas, instituições privadas e públicas. O portal Intercept Brasil, diz que algorítimos de segurança são indispensáveis para manter o sigilo de informações e ainda ressalta que esse é um dos pilares para ter total proteção ao utilizar serviços de comunicação. O portal ainda destaca que a criptografia é uma garantia de que os dados compartilhados vão continuar protegidos mesmo locados em servidores em outros países, como é caso do Zoom, que possui uma central na China.

Nesse momento de tantas incertezas é essencial escolher o aplicativo correto, mas isso nem sempre é uma tarefa fácil.  Pensando nisso a NETSUN oferece um serviço completo e totalmente confiável de videoconferência. Essa solução garante a segurança de suas reuniões e conta com um sistema de criptografia de ponta que assegura a proteção de vídeo e áudio.

A ferramenta possui mais de 100 funções de reuniões e VoIP disponíveis e com ela também é possível migrar sistemas de colaboração e comunicação para nuvens de armazenamento, tudo para facilitar os processos empresariais.

Além disso, contamos também com uma solução completa no quesito de segurança digital, que é composta por:  Recursos de Firewall, Balanceamento e Failover de Links, QoS, Priorização de Protocolos, VPN IPSec e SSL criando túneis criptografados para o tráfego de informações, IPS (prevenção contra intrusões), Web Filtering (filtro de conteúdo web), Inspeção de Pacotes contra Trojan e Ransomware, Políticas de Acesso de usuários, Rastreabilidade de usuários, Antivírus, AntiSpyware, AntiSpam, EndPoint Protection, E-Mail Protection e Prevenção de Ataques DDoS. Tudo isso para deixar a sua empresa totalmente segura!

Quer deixar a sua empresa, suas reuniões e seus dados totalmente seguros? Temos a solução ideal para você! 

[/fusion_text][/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]