É quase impossível imaginar a vida sem o auxílio da tecnologia e da internet. Estamos cada vez mais conectados e somos dependentes de computadores e smartphones em nossa rotina. No entanto, é essencial aprimorar os cuidados e as medidas de segurança no meio digital, principalmente quando o assunto é a proteção das corporações. Diversos casos de ataques cibernéticos a empresas já foram registrados, alguns deles ficaram muito famosos.

Em novembro de 2014 a Sony Pictures, empresa de entretenimento conhecida mundialmente, foi alvo de um ataque, que deixou todos os computadores fora do ar. O grupo identificado como “Guardiões da Paz” (GOP – sigla em inglês) foi o responsável pelo ataque e a motivação para o crime foi a exigência de que a Sony cancelasse a estreia do filme The Interview.  O enredo que teria sido o estopim para a ação, abordava a missão de dois americanos na tentativa de assassinar ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un.

O ataque custou caro para o estúdio pois os hackers roubaram cerca de 100 terabytes de dados, que incluíam assuntos confidenciais e informações de filmes que ainda seriam produzidos e lançados até 2017.  Os criminosos também ameaçaram funcionários e executivos da empresa.

Já em 2015 a empresa de tecnologia e vigilância italiana Hacking Team sofreu um grande golpe virtual. Cerca de 400 gb de informações, dados e códigos de segurança foram roubados. Um prejuízo sem precedentes, já que a empresa prestava serviços de inteligência para países como Alemanha e Estados Unidos. Os responsáveis pela ação não foram identificados.

Um caso mais recente aconteceu no Brasil, em janeiro de 2021. Cerca de 223 milhões de brasileiros, quase toda população, tiveram dados como CPF, endereço, data de nascimento e até faixa salarial expostos no que é considerado o maior vazamento de dados do país. A descoberta foi feita pelo laboratório da empresa de segurança PSafe, que fez a denúncia e tornou o ocorrido público.

De acordo com uma pesquisa da Norton Cyber Securityem 2017 o Brasil passou a ser considerado o segundo país com mais casos de crimes virtuais no mundo, isso equivale a mais de 62 milhões de brasileiros. O relatório diz que esse crescimento aconteceu por conta da grande difusão dos dispositivos móveis, que de certa maneira são mais vulneráveis a ameaças.

Também segundo o relatório de Ameaças Cibernéticas, divulgado em julho deste ano pela SonicWall, o Brasil está entre os países que mais sofrem ataques ransomware no mundo. Só no primeiro semestre de 2021 foram 9,1 milhão de registros.

Fique por dentro do que acontece no mundo da tecnologia. Continue acompanhando nossas notícias!